A vida em sociedade impõe uma série de situações estressantes. O contexto contemporâneo expõe o ser humano a uma forma de vida “selvagem”.

As ameaças da vida na savana africana foram substituídas pelos problemas do dia a dia, o animal que emboscava e perseguia o homem foi substituído por muitos outros perigos modernos e hoje o “leão que o homem deve matar por dia” não passa de uma metáfora que reflete os perigos da vida moderna.

A constante necessidade pela eficiência profissional e a alta competitividade do mercado geram cada vez mais pressão pelo sucesso e sobrevivência. A insegurança da vida urbana e as incertezas da economia criam um cenário cada vez mais catastrófico. Tudo possui grande potencial para gerar estresse e ansiedade.

A ansiedade não é um comportamento exclusivo do homem, ela está presente nos outros animais e é uma reação natural frente a uma ameaça.

Esse comportamento foi selecionado pela evolução e é fundamental para a sobrevivência da espécie. Quando o organismo está exposto a uma ameaça, ele reage preparando-se para fugir ou lutar por sua sobrevivência.

Esse sistema foi aperfeiçoado por milhões de anos. Apesar de ser um aspecto evolutivo essencial, esse processo não foi desenvolvido para estar em uso constante, pois produz estresse prejudicial para vários órgãos e sistema corporais caso seja acionado em excesso, podendo comprometer a saúde global do indivíduo.

Essa ansiedade constante pode provocar deficiência no sistema imunológico e facilitar o adoecimento. Além disso, o estresse também prejudica o sistema cardiovascular, aumentando a probabilidade de aparecimento de doenças associadas. Esse fenômeno pode fazer com que mais e mais pessoas fiquem doentes.

Uma forma de prevenir esses problemas e ter mais qualidade de vida é focando em ser uma pessoa mais equilibrada e feliz.

Ansiedade e o sistema imunológico

A ansiedade é uma reação natural a uma ameaça, assim o corpo se prepara para a reação e se comporta como se estivesse em perigo, entrando em modo de luta ou fuga. No mundo moderno, na maioria das vezes essa ameaça não existe, sendo apenas imaginária. Mesmo nesses casos o organismo se comporta como se o perigo fosse real, reagindo da mesma forma.

“O homem que sofre antes de ser necessário, sofre mais do que o necessário.” — Séneca

Quando uma pessoa está estressada ou ansiosa, seu organismo fica em constante estado de atenção, preparando-se para enfrentar uma ameaça iminente, o sistema de luta ou fuga fica constantemente ligado, algumas vezes até a exaustão e o limite fisiológico.

Manter relacionamentos saudáveis ajuda a diminuir os níveis de estresse do dia a dia

Diversos processos neurofisiológicos são iniciados para reagir ao perigo, neurotransmissores e hormônios são produzidos e jogados no organismo. O sistema nervoso simpático, responsável por esse tipo de reação, produz noradrenalinaadrenalina e cortisol. Esse último é um hormônio e possui um alto potencial imunossupressor quando em excesso.

Uma pessoa com ansiedade crônica está constantemente produzindo cortisol, pois está em um estado de alerta permanente. Esse hormônio pode fazer com que o sistema imunológico tenha seu funcionamento prejudicado e trabalhe de forma menos eficiente, deixando o organismo mais vulnerável.

Pessoas muito estressadas ou ansiosas geralmente ficam doentes mais facilmente, principalmente de doenças oportunistas, como gripes e viroses sazonais.

O sistema cardiovascular

O utro sistema afetado pela ansiedade é o cardiovascular. Ao detectar uma ameaça o Sistema Nervoso reage preparando o organismo, ele faz isso modificando o funcionamento normal para um tipo de “modo de sobrevivência”, que apresenta, entre outras, as seguintes características:

  • A pupila dilata para que o sujeito fique mais atento às ameaças;
  • A respiração se torna mais curta e rápida para que seja metabolizada mais energia;
  • Os músculos se contraem para estar em prontidão para reagir ao agressor;
  • Os batimentos cardíacos aceleram para bombear o sangue com mais eficiência para os membros, gerando mais estresse no músculo cardíaco.

Essa reação é natural, o corpo foi “projetado” para reagir a esses estímulos para sobreviver. O problema está no excesso. Existe uma enorme pressão social por resultados sobre o homem moderno, o que faz com que ele seja levado aos limites muitas vezes.

Ficar estressado já se tornou parte da rotina das pessoas. Brigas no trabalho, aborrecimentos no trânsito, discussões familiares, medo da violência ou do desemprego são fatores que acionam esse sistema corriqueiramente sem que o indivíduo perceba. Isso faz com que o organismo fique em constante tensão e reaja com mais e mais estresse.

Níveis altos e constantes de estresse são prejudiciais para a musculatura cardíaca e o sistema vascular. O coração tende a sofrer com esse estresse regular, com isso o risco de problemas cardíacos congênitos, preexistentes ou doenças relacionadas, como a hipertensão arterial e AVCs, serem disparados ou agravados por um quadro de estresse crônico é alto.

Como prevenir esses problemas e aumentar a probabilidade de ser mais saudável?

Você quer melhorar o seu sistema imunológico e prevenir problemas cardiovasculares? A saída é buscar formas de ter uma vida mais equilibrada e com menos preocupações, focando em práticas, atitudes e ferramentas voltadas para a qualidade de vida.

O primeiro passo é perceber que está vivendo uma rotina estressante, identificando em sua rotina quais os principais estressores e como eles estão influenciando sua vida. Saber realizar escolhas é essencial.

Entender como sua vida funciona, identificar os pontos onde possa melhorar e programar o dia para que ele seja menos estressante pode trazer resultados positivos.

É necessário mudar a forma como se vive e encara a vida. Estabelecer novos comportamentos, alterar a forma de pensar, manter melhores relacionamentos e melhorar a forma como interage com o mundo ao seu redor são boas alternativas.

Saber entender quando as ameaças são reais ou imaginárias e como lidar com elas também é importante. Muitas vezes as reações de ansiedade são originadas de percepções não realistas ou de interpretações catastróficas de eventos reais ou imaginários. Ter uma percepção mais realista ajuda a perceber melhor a realidade e reagir de forma adequada às expectativas e situações.

Colocar atenção nas emoções e em como as relações com o ambiente influenciam o comportamento são pontos importantes para identificar os gatilhos que acionam a mudança de estado emocional e encontrar formas mais equilibradas de reagir, por isso é interessante desenvolver a inteligência emocional.

A ausência de estímulos positivos pode levar a um quadro ansioso. Ter uma vida equilibrada ajuda a reduzir o estresse e aliviar a tensão. Praticar exercícios físicos, realizar viagens, fazer parte de grupos sociais, ter amigos, possuir um hobby, manter relacionamentos saudáveis, ter animais de estimação, participar de projetos sociais ou fazer filantropia são ações que trazem excelentes benefícios para o nível de felicidade.

A parte profissional possui uma grande influência aqui. Alguns indivíduos tendem a focalizar em excesso no trabalho. Desenvolver a habilidade de separar a vida pessoal da profissional é um ponto positivo e pode ajudar a aliviar os sintomas do estresse.

Muitas pessoas preocupam-se constantemente com acontecimentos que ainda não aconteceram e que talvez nunca venham a acontecer. Focar exageradamente no futuro ou em acontecimentos imaginários pode criar expectativas muito altas, gerando ansiedade. Buscar estabelecer o foco no presente e nos acontecimentos atuais ajuda. Práticas como mindfulnessyoga e meditação, bem como exercícios de focalização, são excelentes práticas que podem aliviar grande parte dos sintomas ansiosos.

“A maior arma contra o estresse é nossa habilidade de escolher um pensamento ao invés de outro.” — William James

Por fim, uma das causas da ansiedade é focar em aspectos pessimistas da vida, sempre dando maior ênfase à resultados negativos que possam aparecer. Focar em aspectos positivos, bem como utilização de ferramentas de relaxamento ou autoconhecimento, como auto-hipnose e coaching, também ajuda a aliviar a tensão, melhorar a qualidade de vida e aumentar as chances de ter uma saúde melhor.

Quando a ansiedade ou estresse saem do controle transformam-se em transtornos. Inclusive pode levar a quadros mais graves, como depressão. Nesse momento talvez a pessoa não tenha forças suficientes para sair do ciclo ansioso sozinha e necessite de ajuda. Nessa situação, o ideal é procurar um profissional. Um bom terapeuta tem todas as ferramentas para ajudar você a superar esse problema e ter mais qualidade de vida.

Conclusão

O estresse e a ansiedade são características naturais do ser humano, em dose normal trazem benefícios e evitam problemas, o problema acontece quando acontecem em excesso, influenciando a vida da pessoa de forma negativa.

Tanto o estresse quanto a ansiedade provocam mudanças fisiológicas no organismo que podem levar à baixa na imunidade ou a problemas cardiovasculares futuros.

Para evitar que isso aconteça é necessário colocar atenção no dia a dia e focar em uma rotina mais positiva, aprendendo a fazer escolhas mais equilibradas.

Quando a ansiedade sai do controle e se transforma em um transtorno, o ideal é fazer terapia, o que é bastante natural.

“O estresse deve ser uma força motivadora e poderosa, não um obstáculo.” — Bill Phillips

Estar atento para esses fatores e colocar o foco em um estilo de vida mais saudável emocionalmente pode melhorar muito sua qualidade de vida. Com isso é possível melhorar a saúde, evitar doenças oportunistas e problemas futuros.

Pense nisso.

Não existem comentários.